Os compostos orgânicos e a sílica são as espécies ionizadas menos fortemente retidas pelas resinas de troca iônica.

Depois de um período de uso, a capacidade de troca iônica do cartucho de purificação começa a saturar e estes são os primeiros compostos a serem liberados, inclusive antes mesmo da resistividade cair abaixo do valor de 18,2 MΩ-cm.

Isto pode ser observado na Figura 1, onde o TOC e a sílica da água aumentam rapidamente, à medida que a resistividade da água do produto começa a cair.

Figura 1

Estes problemas são evitados no Purelab Chorus já que qualquer elemento orgânico e silícico liberados do cartucho primário de purificação, à medida que este se esgota, são retidos no segundo cartucho de polimento que ainda está com plena capacidade de troca iônica.

Segurança perfeita

A pureza da água no equipamento Purelab Chorus 1 não depende apenas de garantia de medições precisas de resistividade e temperatura. Até porque os melhores medidores de resistividade são capazes de atingir uma precisão de ± 0,2 MΩ-cm, ou no caso dos purificadores de água para laboratórios a precisão geralmente é menor (± 0,4 MΩ-cm).

Um purificador de água convencional se baseia na troca de cartuchos de purificação na medida em que a resistividade da saída de água abaixe de 18,2 MΩ-cm para manter a perfeita pureza da água. Contudo, qualquer desvio na medição da resistividade ou temperatura camufla a real pureza da água dispensada.

Isto pode resultar na liberação de matéria orgânica ou sílica, como se mostra na Figura 1, e até na presença de outros íons como na Tabela 1. No Purelab Chorus 1 qualquer erro menor nas medições interfere apenas no alarme de troca dos cartuchos do equipamento, mas não tem nenhum efeito sobre a real pureza da água de saída.

A pureza da água do Purelab Chorus 1 não está sujeita a um erro na resistividade ou temperatura, o que fará com que as medidas de resistividade e temperatura ainda sejam precisas.

Tabela 1

Alarme na vida útil do cartucho de purificação

Uma vantagem adicional é a segurança fornecida pelo Purelab Chorus 1. Se o sinal do alarme ‘Pureza Intermediária’ for ignorada, o Purelab Chorus 1 continuará produzindo água 18,2MΩ-cm por outros 1000 litros, ou mais, desde que a água de alimentação esteja abaixo de 35 μS/cm. Isto se deve à capacidade do cartucho secundário de polimento, que praticamente não é consumida até a saturação do cartucho de purificação primário, quando este deve ser trocado.

Quando requerido o registro da pureza da água, a segurança fornecida pelo sistema Purelab Chorus 1 oferece a vantagem de que, mesmo com um uso muito intenso, o registro diário será suficiente para garantir que a água de produção mantenha 18, 2 MΩ-cm durante todo o dia. Nos purificadores de água convencionais, se a queda da resistividade não for detectada ou for ignorada, a contaminação pode resultar em perda significativa da qualidade, como mostra na Tabela 1, para minimizar isso seriam necessários registros e calibrações frequentes dos medidores de resistividade.

Para mais informações, clique aqui.

Tags:

Elga Veolia, Purelab Chorus, purificador de água

Compartilhe: