Agilidade nos resultados, melhora da experiência do paciente e aumento da capacidade do laboratório são as principais vantagens dos exames remotos 

O teste de gravidez da Hilab utiliza a imunocromatografia, uma metodologia que identifica doenças infecciosas, hormônios e outros analitos, por associação específica a anticorpos com partículas coloridas conjugadas

O atraso menstrual é o principal motivo que faz uma mulher suspeitar de uma gravidez e procurar um laboratório de análises clínicas para a realização do exame de Beta hCG. No entanto, a demora para a entrega do resultado do exame deixa muitas mulheres insatisfeitas com a espera.

Embora laboratórios de análises clínicas tenham investido em automatizações e melhorias de processo para entregar o resultado no menor tempo possível, muitas vezes o laudo somente ficará disponível no dia seguinte. Entretanto, hoje o avanço da tecnologia já permite a realização de um exame de gravidez de sangue em poucos minutos, o que contribui para a satisfação e fidelização de clientes que procuram por este tipo de serviço.

É o caso, por exemplo, do Teste Laboratorial Remoto (TLR), que além de agilizar o procedimento, pode ser um diferencial competitivo para laboratórios clínicos.

Como funciona um exame remoto de gravidez 

Antes de mais nada, é necessário fazer uma diferenciação: um teste rápido não é a mesma coisa que um TLR. Segundo o Ministério da Saúde, “testes rápidos” são todos os testes cuja execução, leitura e interpretação do resultado são feitas em no máximo 30 minutos, sem a necessidade de estrutura laboratorial. A leitura dos resultados é feita a olho nu”.

Já no caso dos Testes Laboratoriais Remotos, a leitura dos resultados não é realizada pelo profissional da saúde que aplicou o teste e sim pelo próprio equipamento de TLR. Isso traz muito mais segurança para o laboratório que aplicou o teste, bem como para o cliente.

Existe, ainda, um outro exemplo que é o serviço da Hilab,  healthtech especialista em exames laboratoriais remotos. A empresa vai além e oferece ao paciente um resultado que passa por um processo de dupla-verificação por inteligência artificial e um especialistas em análises clínicas.

Metodologia da Hilab

O teste de gravidez da Hilab utiliza a imunocromatografia, uma metodologia que identifica doenças infecciosas, hormônios e outros analitos, por associação específica a anticorpos com partículas coloridas conjugadas. O resultado desse tipo de teste geralmente considera a presença de antígenos na amostra.

Para diagnosticar uma gravidez, a healthtech utiliza a análise de uma variação do hormônio Beta hCG. A apresentação do exame e a metodologia para sua realização, no entanto, partem do mesmo princípio.

Vantagens dos exames remotos 

Além da rapidez na entrega do resultado, por si só, os exames remotos contribuem para o aumento no número de pacientes, uma vez que a capacidade da empresa pode ser ampliada sem a necessidade de investimentos em tecnologia e infraestrutura.

Qualidade é fundamental 

Antes de contratar serviços de exames remotos para o seu laboratório é importante buscar empresas comprometidas com a qualidade e a segurança dos resultados.

O exemplo apresentado neste artigo, a Hilab, é um laboratório de análises clínicas especialista em Testes Laboratoriais Remotos, que oferece um serviço de exames completo.

A healthtech fornece os dispositivos, treinamento dos profissionais e suporte completo. O acompanhamento dos parceiros da empresa é diário, pois todas as amostras digitalizadas nos aparelhos da Hilab são enviadas para o laboratório central, localizado em Curitiba (PR), por meio da Internet das Coisas (IoT).

Depois disso, o laudo, assinado por profissionais de saúde, é entregue em apenas alguns minutos. Esse modelo de exames permite à Hilab estar disponível em farmácias, empresas, clínicas e consultórios de todo o Brasil.

Quer entender melhor como funciona o serviço de exames laboratoriais remotos? Confira as soluções da Hilab para laboratórios e descubra como inovar sendo um parceiro da healthtech.

Tags:

exame de Beta hCG, Hilab, imunocromatografia, Teste Laboratorial Remoto (TLR)

Compartilhe: