Três executivos dos maiores laboratórios do país apresentaram seus pontos de vista sobre os desafios e aprendizados que vieram com a pandemia. Leonardo Vedolin Head da Área Médica da Dasa, Lídia Abdalla, Presidente do Grupo Sabin e Edgar Rizzatti, Diretor Executivo Médico e Técnico do Grupo Fleury falam sobre as estratégias dos laboratórios, a área como impulsionadora de inovações e as expectativas para 2022. As entrevistas foram concedidas ao portal LabNetwork por intermédio da jornalista Milena Tutumi

Leonardo Vedolin – Dasa: A segurança de colaboradores, médicos e pacientes, além da continuidade dos serviços e cuidados médicos, foram nossas prioridades para enfrentar a pandemia.  A Covid-19 fará parte da nossa memória individual e coletiva, e os aprendizados envolvem novas práticas de gestão, de atendimento e de segurança, por exemplo.

O desafio constante da crise sanitária nos fez perceber que, em primeiro lugar, está o ser humano. O olhar atento ao próximo nos balizou para uma série de tomadas de decisões: trabalhamos em parceria com diversas instituições – públicas e privadas -, aumentamos nossa capacidade produtiva e criamos condições para avanços científicos no monitoramento do coronavírus, com unidades de medicina diagnóstica, hospitais, centros de genômica, pesquisa e inovação.

Nesse contexto, ampliamos o quadro de colaboradores na linha de frente, colocamos em home office todos que poderiam trabalhar remotamente, reforçamos protocolos de segurança e investimos nos serviços de coleta domiciliar e atendimento digital. Criamos também o Genov, projeto pioneiro que sequenciará 30 mil genomas completos do coronavírus, formando o maior banco genômico privado do SARS-CoV-2 no Brasil, permitindo acompanhar e conhecer a evolução genética do vírus.

Para minimizar o impacto social da Covid-19, doamos insumos, respiradores e equipamentos de proteção individual. Além disso, criamos o Centro de Diagnóstico Emergencial (CDE) para atender uma demanda do Ministério da Saúde, com a doação de recursos humanos e infraestrutura para processamento de 8 mil testes/dia para detecção da Covid-19 ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Dra. Lídia Abdalla – Grupo Sabin: As adversidades da pandemia demandaram a implantação de estratégias para garantir a segurança física e mental de nossos times, a assistência à população e cadeia produtiva da saúde, bem como o apoio social às comunidades mais vulneráveis e organizações sociais. Tivemos que lidar com decisões mais ágeis e estratégias que aceleraram projetos inovadores da empresa.

A atuação pautada pela cultura forte, valores e propósitos que conduzem todas as práticas da empresa alcança também os serviços do Sabin e influencia a jornada de seus cientistas e pesquisadores, que dedicam todo o seu conhecimento para entender a complexidade por trás de uma dimensão de amostras, reports, estudos clínicos. Empenho que resultou no pioneirismo em desenvolver os testes para detecção da Covid-19 no Brasil. Realizamos durante a pandemia mais de 2.080.000 de exames para diagnóstico da Covid-19 de Norte a Sul do país. Para isso, reorganizamos nossos serviços, lançamos o sistema de atendimento drive-thru integrados ao e-ncaminhe, estruturamos unidades exclusivas para Covid-19, ampliamos nossos serviços, implantamos novos protocolos de humanização na notificação de casos positivos.

O propósito do Grupo Sabin, que é inspirar pessoas a cuidar de pessoas, foi nossa grande fonte de energia para enfrentar não só os desafios assistenciais, mas também para garantir os empregos e a sustentabilidade empresarial.

Mesmo neste contexto desafiador, mantivemos nossos investimentos em inovação. Com a proposta de valor de democratização do acesso à saúde, o Sabin lançou o seu Centro de Saúde digital – o Rita Saúde. A plataforma foi desenvolvida dentro dos conceitos de saúde 5.0 – com as pessoas no centro do cuidado – coordena de forma 100% digital a assistência e permite acompanhamento integral do paciente. A proposta é oferecer um ecossistema inovador com saúde de forma planejada. Buscamos um modelo de assistência estruturado, para tornar a saúde de qualidade mais acessível à população. Assim, estamos contribuindo também para a sustentabilidade do setor, por meio do impacto dos resultados da plataforma, que conta inclusive com crowdfunding para viabilizar o acesso à saúde.

No pilar social, além de doações de materiais e exames, a empresa abraçou uma série de iniciativas importantes nesta luta contra a pandemia. Em Brasília, apoiamos a campanha estadual de vacinação contra a Covid-19. O Programa de Voluntariado Corporativo do Sabin mobilizou 2.295 colaboradores da empresa que se revezavam nessa corrente do bem na vacinação da população, totalizando 23 mil horas e 58 mil doses aplicadas. Além da mobilização de seus colaboradores e para expandir o alcance da iniciativa, o Sabin cedeu três espaços de atendimento no sistema drive-thru para vacinação aos sábados e domingos, durante seis meses consecutivos.

Outro avanço foi o apoio às mais de 1.200 empresas com protocolos de triagem, testagem e monitoramento, além da integração com protocolos sanitários para a retomada de diferentes setores da economia de forma segura e responsável. Também asseguramos a ampliação da nossa plataforma de testagem e capacidade produtiva e nos tornamos ainda mais eficazes e preparados para superar desafios logísticos e garantir insumos e reagentes para realização de testes em todas as regiões do Brasil. A estratégia permitiu com que o Sabin mantivesse a oferta de exames de forma ininterrupta nas mais de 50 cidades em que atuava. Além disso, o Sabin foi a primeira empresa de Medicina Diagnóstica a integrar as notificações da Covid-19 à Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), do Ministério da Saúde.

Essas são algumas iniciativas que fizeram parte de nossa atuação e compromisso com todos os nossos stakeholders, mesmo em um cenário tão desafiador.

Em 2021, continuamos investindo e apostando no desenvolvimento da saúde no interior do país, com a chegada em novas regiões como Gurupi (TO), Tangará da Serra (MT) e Blumenau (SC), passando a atuar em 64 cidades brasileiras.

Edgar Edgar Rizzatti – Grupo Fleury: Como uma empresa de 95 anos que sempre manteve o foco no cliente, nos adaptamos rapidamente para a nova realidade imposta pela pandemia da Covid-19. Com todos os desafios que tivemos nos anos de 2020 e 2021, seguimos com o firme propósito de prover soluções cada vez mais completas e integradas para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas. Desde o início da pandemia houve mudança no comportamento das pessoas, que passaram a se preocupar mais com sua saúde física e mental. Assim como fazem com outros aspectos de suas vidas, os clientes querem receber serviços em casa – uma necessidade que percebemos e à qual nos adaptamos rapidamente, ampliando a oferta de atendimento domiciliar. Também fizemos adequações para continuar oferecendo os serviços de medicina diagnóstica nas unidades de atendimento com toda segurança necessária. Implantamos inúmeras iniciativas, como atendimento por drive-thru e check-in digital, ao mesmo tempo que fortalecemos nosso posicionamento como plataforma, incorporando inovações e soluções que promovem mais saúde e bem-estar aos nossos clientes. Também passamos a oferecer serviços de telemedicina, permitindo que os médicos continuassem atendendo os pacientes mesmo com o distanciamento social e, mais recentemente, lançamos uma plataforma de serviços digitais chamada Saúde iD, empresa do Grupo baseada na ciência de dados e que nasceu para ampliar o acesso à saúde para os nossos clientes, integrando todos os atores da cadeia. Ao colocar o paciente no centro da nossa estratégia e integrar seus dados, de modo a ter um uso mais eficiente dos recursos, a plataforma vai garantir a sustentabilidade do setor e, ao mesmo tempo, permitir que os indivíduos façam a gestão de sua saúde de forma totalmente digital.

Tudo isso com o trabalho dos quase 10 mil colaboradores e 3 mil médicos do Grupo Fleury, que buscam todos os dias promover saúde e bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Trabalhamos, de forma incansável, para oferecer serviços de medicina diagnóstica de qualidade e melhorar a experiência do paciente. Vimos como um privilégio poder contribuir para que todos tenham mais qualidade de vida, cuidando de sua saúde.

Com todas as ações descritas, nosso relacionamento com o cliente se fortaleceu ainda mais. Mantivemos o princípio fundamental de entender profundamente suas necessidades, nos adaptamos para continuar cuidando da sua saúde e bem-estar e garantimos nosso relacionamento de confiança.

O que foi feito para conseguirem passar pela pandemia, tanto em nível pessoal como profissional?

Leonardo Vedolin – Dasa: Atravessamos essa pandemia com união, pensando no próximo e com um estilo de liderança que manteve a comunicação constante e a escuta ativa para entender as dores do momento.

Para garantir o melhor atendimento aos pacientes, criamos um comitê de crise que contribuiu para tomarmos medidas rápidas de segurança e bem-estar. Remodelamos ambientes, aderimos ao movimento #NãoDemita, ampliamos os programas de bem-estar físico e mental. Para os pacientes, o atendimento phygital foi reforçado na pandemia e que já se tornou realidade nos nossos serviços.

Dra. Lídia Abdalla – Grupo Sabin: Na pandemia, estamos sendo desafiados na nossa vida pessoal e como profissionais. Tem sido um período de muito aprendizado, em que renovamos a cada dia nossa força, coragem e resiliência.

Do ponto de vista pessoal, me dediquei a cuidar da família e do Sabin. Foi um desafio grande porque, como empresa de saúde, e do segmento de medicina diagnóstica, o Grupo Sabin foi protagonista do apoio a ações de enfrentamento da pandemia de Norte a Sul do país.

No meu pouco tempo livre, como uma estratégia de autocuidado e busca do equilíbrio, busquei outras fontes de conteúdo. Me dediquei à leitura, filmes e séries que não estivessem associados à pandemia. Como cristã, dediquei mais tempo para conexão espiritual, orações e leitura da Bíblia.

Edgar Edgar Rizzatti – Grupo Fleury: Sempre estive à frente da área de pesquisa interna dentro da empresa, que foi altamente estimulada pela pandemia. Um exemplo, do qual também faço parte, é o estudo SoroEpi MSP – Inquéritos soroepidemiológicos seriados para monitorar a prevalência da infecção por SARS-CoV-2 no Município de São Paulo (SP). O projeto, cujo objetivo é identificar a proporção da população que possui anticorpos contra o coronavírus SARS-CoV-2 na capital paulista, é uma ação entre cientistas e médicos renomados com apoio do Grupo Fleury, Ipec – Inteligência em Pesquisa e Consultoria, Instituto Semeia e Todos pela Saúde – iniciativa lançada pelo Itaú Unibanco para enfrentar a Covid-19 e seus efeitos sobre a sociedade brasileira.

Além disso, atualmente, temos cerca de 130 projetos de pesquisa ativos que estão sendo desenvolvidos com algum tipo de parceria com outros centros de pesquisa, hospitais, universidades etc. Para o Grupo, as parcerias nacionais e internacionais são fundamentais e estratégicas para possibilitar o compartilhamento de informações e a geração de conhecimento de ponta.

Durante esse período pandêmico, outras linhas de negócio já existentes na companhia ganharam fôlego e impulso, como telemedicina, que já fizemos mais de 600 mil consultas virtuais, bem como com o Day Clinic, nosso Hospital Dia Ortopédico, dado que os grandes hospitais gerais estavam dedicados ao atendimento de pacientes com COVID-19. Tudo isso fortalecendo ainda mais a estratégia de oferecer um cuidado integrado para nossos pacientes, por meio de um ecossistema de saúde.

Disso tudo, o que será levado para 2022?

Leonardo Vedolin – Dasa: Nossa experiência tem demonstrado que a crise é cíclica e que cada período exige uma postura diferente: há momentos em que a gestão da informação impera; outros, que ressaltam a importância do compartilhamento de conquistas e de desafios para estimular o engajamento das equipes; e, por fim, aqueles nos quais o otimismo é a força para a construção de uma nova agenda. Para 2022, podemos levar a dedicação de cada um, com suas limitações e possibilidades, além da humanização e do comprometimento para fazer sairmos bem dessa crise global.

Dra. Lídia Abdalla – Grupo Sabin: Nossa jornada é conduzida sempre por valores muito fortes e muito legítimos. Ética e respeito à vida estão em tudo o que fazemos há mais de 37 anos e, diante da pandemia, outros aspectos também ficaram mais latentes para nós e nos deixaram mais próximos da realidade dos mais vulneráveis. Praticamos a empatia e vimos que a união em momentos difíceis pode ser decisiva. Costumo dizer que vivemos experiências e aprendizados que nos fortaleceram como líderes de saúde e como pessoas, e toda essa lição vai nos inspirar neste novo ciclo e nos motivar a seguir inspirando pessoas a cuidar das pessoas em todo o Brasil.

Edgar Edgar Rizzatti – Grupo Fleury: Acredito que será reforçar a área de pesquisa e desenvolvimento, de inovação médica e de ciência de dados. Na área de genômica, destaca-se, por exemplo, a incorporação da análise de fusões ao teste Oncofoco, destinado a pacientes oncológicos(as). A nova marca de Genômica do Grupo Fleury, a SOMMOS DNA abriu muitas portas. O objetivo desta nova marca é ter o foco mais direcionado ao paciente (DTC – Direct to Consumer). De lá para cá, diversos produtos SOMMOS surgiram. O mais recente, é o Teste Genético Viva Mulher, o único pensado para todas as etapas da saúde da mulher. Nas áreas de inovação médica e de ciência de dados, pretendemos ampliar a aplicação de inteligência artificial e machine learning para integração diagnóstica, apoiando assim à decisão clínica, segurança do paciente e facilitando o diagnóstico mais rápido e assertivo. Será uma importante frente de trabalho para fortalecimento do P&D do Grupo Fleury. Além disso, teremos importantes avanços em Imunologia e nas áreas de proteômica e metabolômica como habilitadores para medicina de precisão.

Quais são as expectativas para a sua área no próximo ano?

Leonardo Vedolin – Dasa: Existe uma crescente demanda para tornar a navegabilidade das pessoas na saúde mais fácil. Na Dasa, temos o Nav, nossa plataforma de saúde integrada e inteligente que facilita a navegação de todos os usuários de nosso ecossistema, integrando suas jornadas ao longo dos serviços da empresa, sejam eles físicos ou digitais, respeitando integralmente a LGPD. É a inovação que traz acolhimento e humanização aliada à tecnologia de dados.

Dra. Lídia Abdalla – Grupo Sabin: Nossa agenda ESG seguirá evoluindo e conduzindo nossas práticas de governança, sustentabilidade e social, estamos construindo uma bela história, por meio do Instituto Sabin. Há 16 anos, abraçamos iniciativas de inovação e responsabilidade social que já impactaram a vida de mais 1.1 milhão de pessoas em todo o país, levando saúde e qualidade de vida às comunidades.

Como empresa de saúde com inovação no DNA, manteremos entre as nossas prioridades os investimentos em tecnologia para promover transformação digital e assegurar eficiência em larga escala, alta performance, qualidade e segurança em nossos processos, sistemas e operações. Vamos redobrar nossos esforços para fomentar cada vez mais o ecossistema de inovação, investindo nas soluções disruptivas de startups e no empreendedorismo digital, agregando ainda mais valor e sustentabilidade à nossa cadeia produtiva.

Em nosso negócio, nosso foco é seguir avançando pelo país, tanto em capitais, quanto no interior, levando nossos serviços de excelência em saúde para mais brasileiros – o que também passa pela questão social, com a geração de emprego e renda e geração da economia local.  E também com o aumento de nosso portfólio de serviços em nossa plataforma de negócios em saúde, ampliando o acesso a saúde para a população e fortalecendo nossa participação no ecossistema de saúde do Brasil.

E, mais do que nunca, reforçar o nosso compromisso com a valorização das nossas pessoas. Nossos mais de 6.200 mil colaboradores que, em meio a tantos desafios, estiveram na linha de frente durante a pandemia, somando forças para que o cuidado humanizado com cada paciente estivesse em primeiro lugar.

Edgar Edgar Rizzatti – Grupo Fleury: A Inovação e a Transformação Digital estão profundamente enraizadas na visão estratégica do Grupo Fleury. Nos próximos anos, pretendemos intensificar nossa visão de posicionar o indivíduo no centro de tudo, com a ampliação da atuação em novos elos ambulatoriais, o investimento em tecnologias digitais e a busca de novos modelos de ofertas em nosso core business.

Com certeza todos esses movimentos tornam o Grupo Fleury um ótimo exemplo de saúde integrada, de fato capaz de acompanhar o paciente ao longo de toda sua jornada de cuidado, atuando em prevenção, atenção primária, medicina diagnóstica, atenção secundária e terciária, por meio de parcerias com Hospitais, oferecendo todos os serviços necessários. Com serviços de telemedicina, check-up, consultas clínicas, exames diagnósticos, tratamentos em diversas especialidades médicas (oftalmologia, ortopedia e infusões de medicamentos imunobiológicos, por exemplo), e agora cirurgias, o Grupo se torna um ecossistema de saúde concreto, potente e altamente escalável – algo que todo o mercado de saúde necessita, mas que na prática o paciente ainda não conseguia encontrar.

Compartilhe: