Já não bastam todos os problemas decorrentes da chuva nas cidades, o aumento do volume de chuva, enchentes e inundações, também se eleva o número de casos de leptospirose

Os dados são alarmantes: em Minas Gerais, a chuva está próxima de atingir o triplo da média e já deixou 53 mortos em cinco dias com mais de 30 mil pessoas fora de casa.  No Espírito Santo a chuva já deixou mais de 12 mil pessoas fora de casa em 27 municípios, com 23 cidades em alerta máximo e nove mortes registradas.

Outro estado afetado pela chuva é São Paulo, que está em estado de atenção para alagamentos segundo a prefeitura de São Paulo. As zonas norte, leste, centro e a marginal Tietê foram as áreas mais afetadas pela chuva da última terça-feira (28/01/2020).

Temporais e chuvas de grande volume acumulado (acima de 100 mm em 24 horas) estão sendo observados, também, nos últimos dias em vários estados da região Norte do Brasil.

Temporais mais recentes ocorreram no Pará e no Amazonas. Entre 9h do dia 27/01/2020 e 9h do dia 28/01/2020, foram registrados 91,2 mm sobre Manaus e 107 mm em Tefé, no Amazonas. Entre os dias 26 e 27 de janeiro, no estado do Pará foram registrados 103,4 mm sobre Rondon do Pará, 88,6 mm em Paragominas e 81,4 mm em Novo Repartimento.

Janeiro de 2020 está sendo o janeiro mais chuvoso em Manaus em 24 anos, desde 1996, quando janeiro acumulou 571,3 mm.

Já não bastam todos os problemas decorrentes da chuva nas cidades, o aumento do volume de chuva, enchentes e inundações, também se eleva o número de casos de leptospirose.

Por apresentar sintomas semelhantes à gripe, dengue, malária e hepatite, o diagnóstico diferencial para confirmação do quadro é de extrema importância.

Durante esse período, a urina dos ratos e de outros animais (boi, porco, cavalo, cabra e ovelhas) mistura-se à água e à lama. A bactéria do gênero Leptospira penetra no corpo humano pela pele, principalmente por arranhões ou ferimentos, e também pela pele íntegra, imersa por longos períodos na água ou lama contaminada.

A leptospirose é uma doença infecciosa febril que provoca impactos sociais e econômicos negativos. A doença apresenta elevada incidência, alto custo hospitalar, perdas de dias de trabalho, além do risco de letalidade, que pode chegar a 40% nos casos mais graves.

O período de incubação da doença dura, em média, de cinco a 14 dias. Em alguns casos, pode ser assintomática. Quando ocorrem, os sintomas podem ser confundidos com sinais da gripe ou dengue, como febre, mal-estar, dores de cabeça e muscular.

Os sintomas, em geral, desaparecem após três ou quatro dias da manifestação. Dependendo do caso, porém, a doença pode evoluir para a Síndrome de Weil, uma forma grave. Nessa fase, as taxas de mortalidade são elevadas.

Por apresentar sintomas semelhantes à gripe, dengue, malária e hepatite, o diagnóstico diferencial para confirmação do quadro é de extrema importância.

A ECO Diagnóstica possui o teste Lepstopirose IgG/IgM ECO Teste para detecção imunocromatográfica de anticorpos IgG/IgM contra a bactéria Leptospira em amostras de soro, plasma e sangue total venoso e capilar. O teste de fácil procedimento libera resultado em apenas 15 minutos com sensibilidade superior a 99% e especificidade superior a 97%.

Mais informações: (31) 3653-2025 / [email protected].

O teste de fácil procedimento libera resultado em apenas 15 minutos

Fontes:

Ministério da Saúde: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/leptospirose

Notícias disponíveis em: https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2020/01/29/apos-mais-um-temporal-com-enchentes-bh-e-regiao-metropolitana-contabilizam-mais-estragos.ghtml

Notícias disponíveis em: https://www.climatempo.com.br/noticia/2020/01/28/muita-chuva-no-norte-do-brasil-nos-proximos-dias-1552

Tags:

chuva, ECO Diagnóstica, leptospirose

Compartilhe: