Projetos interdisciplinares com cinco frentes de pesquisa buscam soluções rápidas para o enfrentamento da pandemia

Os projetos financiados são coordenados por cientistas da UFRJ, USP, UFMG, Fiocruz e IDOR

O Instituto Serrapilheira e o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) vão investir juntos R$ 5 milhões em cinco pesquisas voltadas ao entendimento e à busca de soluções para a Covid-19. Os projetos se inserem em três grandes áreas: biologia viral, modelos matemáticos e imunologia.

A parceria prevê colaborações interdisciplinares entre os dois institutos por meio do compartilhamento de dados e de diferentes expertises dos profissionais envolvidos. “Nosso objetivo é formar um grupo coeso para buscar respostas rápidas para a pandemia”, explica o diretor-presidente do Serrapilheira, Hugo Aguilaniu.

Os projetos financiados são coordenados por cientistas da UFRJ, USP, UFMG, Fiocruz e IDOR. A parceria também prevê apoio a jovens doutores que participarão das pesquisas. “Estamos muito animados com esta nova parceria, que une pesquisadores de diferentes frentes e de grandes centros de estudo do Brasil. Pesquisa de qualidade se faz por meio de colaborações como estas, e nossa expectativa é que este seja apenas o primeiro passo de uma parceria de longo alcance, por reconhecermos a identidade de propósitos de nossas instituições”, ressalta Fernanda Tovar-Moll, presidente do IDOR, que está à frente da iniciativa “Ciência IDOR Contra a Covid”, com dez estudos sobre coronavírus, entre eles, alguns incentivados nesta parceria com o Serrapilheira.

Conheça os projetos da parceria Serrapilheira/IDOR

O ModCovid-19 desenvolve um modelo matemático que permite simular quando, por quanto tempo e o nível de distanciamento que deve ser implantado em cada cidade considerando suas particularidades. O objetivo é otimizar as medidas de isolamento, evitando o colapso do sistema de saúde e minimizando os impactos econômicos.

O segundo projeto busca entender como se dá a resposta imune de pacientes brasileiros à infecção por SARS-CoV-2. Para isso, analisará especificamente profissionais de saúde, que apresentam um alto risco de exposição ao novo coronavírus.

O terceiro projeto “Ciência de dados aplicada à Covid-19” faz uso de data science para analisar os dados colhidos dentro da plataforma de monitoramento epidemiológico Dados do Bem, criado pelo IDOR em parceria com a Zoox Smart Data, e terá uma interseção direta com o ModCovid19.

No quarto estudo, os pesquisadores buscam identificar biomarcadores prognósticos e preditivos de resposta em pacientes com Covid-19, submetidos a diferentes protocolos de tratamento (corticoide, heparina e plasma de convalescentes), em estudos randomizados coordenados pelo IDOR.

A quinta pesquisa, por sua vez, avalia a biologia do SARS-CoV-2 e estuda a transferência de células e mitocôndrias para recuperar órgãos danificados pela infecção por SARS-CoV-2.

O Serrapilheira é um instituto de fomento à ciência e à divulgação científica no Brasil. Desde sua criação, em 2017, já apoiou mais de 130 projetos nas duas áreas. Já o IDOR, criado em 2010, é voltado à ciência, educação e inovação na área de saúde, promovendo ensino e pesquisa. Tanto o Serrapilheira quanto o IDOR são instituições privadas sem fins lucrativos.

Tags:

covid-19, Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, Instituto Serrapilheira

Compartilhe: