A pesquisa científica e a busca incessante pela melhora da saúde humana tendem a acelerar o surgimento de técnicas inovadoras para prevenção e tratamento de diversas patologias. Isso explica o fato de as indústrias farmacêuticas estarem em constante evolução e prontas para absorverem tais tecnologias.

A nanotecnologia é um ótimo exemplo de interface entre a medicina e a indústria, pois vem se revelando altamente potencial para otimizar o tratamento de algumas doenças. Através dela é possível aumentar a eficiência de um fármaco, diminuir os custos de produção e até mesmo reduzir efeitos colaterais, ganhando assim destaque em sistemas de ‘’Drug Delivery’’.

De uma forma objetiva a nanotecnologia pode ser definida como o desenvolvimento de materiais funcionais que podem ser utilizadas em diferentes segmentos. Considerando a área farmacêutica os benefícios são inúmeros porque as nanopartículas podem ser sintetizadas com características diferentes para se adequarem a uma terapia específica, ou seja, moldando o tamanho de uma NP é possível favorecer a distribuição de uma determinada molécula.

Com objetivo de contornar alguns problemas relacionados a toxicidade de um fármaco, ou condições fisiológicas, os sistemas de ‘’Drug Delivery’’ podem ser associados às moléculas de interesse, funcionando como um veículo que favorece a liberação do fármaco de forma gradativa e segura, com mínimos efeitos adversos.

Há vários sistemas de nanopartículas disponíveis e a escolha do melhor sistema, tamanho e forma depende da patologia relacionada e o efeito esperado. Os sistemas lipídicos, especificamente, podem ser classificados como nanopartículas lipídicas sólidas (SLN) ou carreadores lipídicos nanoestruturados (NLC). Ambos têm despertado grande interesse na terapia anticancerígena pela capacidade de manter-se por mais tempo na circulação, aumentando as chances de encontrar processos inflamatórios e o crescimento tumoral.

As nanopartículas lipídicas sólidas foram desenvolvidas em 1991, como um sistema alternativo de encapsulação de princípios ativos em relação aos sistemas coloidais tradicionais, tais como emulsões, lipossomas e nanopartículas poliméricas. O grande diferencial das NLS é a sua excelente estabilidade físico-química, que proporciona maior proteção contra a degradação de fármacos lábeis. Na área farmacêutica, as NLS podem ser usadas por todas as vias de administração, como a oral, parenteral e cutânea, devido a seu tamanho reduzido, variando de 50 a 1000 nm e biocompatibilidade.

Dentre as várias etapas de produção dos sistemas lipídicos esse artigo destaca o processo de purificação/concentração das nanopartículas, a avaliação de eficiência de encapsulamento e carregamento da droga (drug loading). Nesse sentido, a utilização dos métodos de ultrafiltração, através dos dispositivos Amicon® Ultra e Amicon® Stirred Cell (Millipore, Merck), tem sido avaliado em vários trabalhos, para diferentes tipos de amostra. O método de separação proposto por esses filtros, com base em filtração tangencial e peso molecular, permite a liberação da droga encapsulada quando em solução aquosa, ou seja, sendo assim possível avaliar o perfil de encapsulamento e de liberação de um fármaco em um determinado período. Uma liberação mais lenta está diretamente associada com baixa toxicidade e maior eficiência do tratamento.

Quer conhecer um pouco mais sobre a linha Amicon®? Clique aqui e aqui.

Referências:

Elin J, Ole Kristian Brandtzaeg, Tore Vehus, Hanne Roberg-Larsen, Vanya Bogoeva, Ornela Ademi, Jon Hildahl, Elsa Lundanes, Steven Ray Wilson. A critical evaluation of Amicon Ultra centrifugal filters for separating proteins, drugs and nanoparticles in biosamples. Journal of Pharmaceutical and Biomedical Analysis 120 (2016) 106–111.

Samuel V. Mussi and Vladimir P. Torchilin. Recent trends in the use of lipidic nanoparticles as pharmaceutical carriers for cancer therapy and diagnostics. J. Mater. Chem. B, 2013, 1, 5201.

Souto E, Severino P, Santana M, Pinha Samantha. Nanopartículas de lipídeos sólidos: métodos clássicos de produção laboratorial. Quim. Nova, Vol. 34, No. 10, 1762-1769, 2011.

Paola C Braga – Field Marketing Specialist – Life Science Reagents and Kits Research & Applied | Life Science.

Tags:

drug delivery, fármaco, Merck, Millipore, nanotecnologia, terapia anticancerígena

Compartilhe: