Estudo caracterizou miRNAs veiculados por nanovesículas isoladas de nozes e avelãs

A pesquisa identificou ácidos nucleicos de nozes que, graças à sua alta biodisponibilidade e ação anti-inflamatória, são capazes de limitar o desenvolvimento de doenças metabólicas ligadas à obesidade

Um estudo recente financiado pelo INC – International Nut & Dried Fruit Council, publicado na revista Communications Biology1, mostrou que alguns frutos secos, como nozes e avelãs, podem ajudar a melhorar o perfil metabólico das células adiposas. O estudo também revelou novas funções anti-inflamatórias desses frutos secos.

A obesidade é um aumento do tecido adiposo para armazenar a ingestão excessiva de energia. A ingestão excessiva de calorias pode levar à formação de células adiposas, promovendo a deterioração (envelhecimento) com o aumento da produção de moléculas pró-inflamatórias. A inflamação de baixo grau é um fator-chave no desenvolvimento da resistência à insulina e diabetes tipo 2 na obesidade.

Este estudo caracterizou miRNAs (pequenos ácidos nucleicos envolvidos na regulação da expressão genética) veiculados por nanovesículas (atores emergentes na comunicação célula a célula) isoladas de nozes e avelãs, e testou sua eficácia no perfil inflamatório e metabólico nas células adiposas.

Os pesquisadores descobriram que duas plantas miRs conservadas (miR156c e miR159a) foram capazes de limitar a resposta inflamatória e recuperar a sensibilidade à insulina em camundongos alimentados com uma dieta rica em gorduras. Os resultados sugerem que as miRs de frutos secos melhoram o perfil metabólico das células adiposas e revelam uma nova função anti-inflamatória dos alimentos vegetais (incluindo frutos secos) como um terapêutico promissor no tratamento de inflamações de baixo grau.

“Nossa pesquisa identificou ácidos nucleicos de nozes que, graças à sua alta biodisponibilidade e ação anti-inflamatória, são capazes de limitar o desenvolvimento de doenças metabólicas ligadas à obesidade”, afirma a Dra. Lettieri Barbato, pesquisadora da Universidade de Roma “Tor Vergata” e principal investigadora deste estudo.

Referência: 

1. Aquilano K., Ceci V., Gismondi A., De Stefano S., Iacovelli F., Faraonio R., & Lettieri-Barbato D. (2019). Adipocyte metabolism is improved by TNF receptor-targeting small RNAs identified from dried nuts. Communications Biology, 2:317.

Tags:

frutos secos, perfil metabólico das células adiposas

Compartilhe: