biotecnologia_freerangestock

Sete áreas foram elencadas: biotecnologia; imunologia; biomedicina; doenças infecciosas; biologia computacional; biotecnologia vegetal; e biossegurança e avaliação de riscos de organismos geneticamente modificados. foto: freerangestock

Estão abertas até o dia 4 de novembro as inscrições para a Chamada Pública 18/2015, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), e pelo Centro Internacional para Engenharia Genética e Biotecnologia (ICGEB, na sigla em inglês). A iniciativa pretende apoiar atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação. Cada proposta deve ser acompanhada de arquivo contendo o projeto de estudo e deve ser encaminhada ao CNPq por meio do Formulário de Propostas Online, disponível na Plataforma Carlos Chagas.

Sete áreas foram elencadas para ser objeto de estudos das propostas: biotecnologia; imunologia; biomedicina; doenças infecciosas; biologia computacional; biotecnologia vegetal; e biossegurança e avaliação de riscos de organismos geneticamente modificados.

As propostas selecionadas terão acesso a um total de R$ 585 mil, sendo que cada projeto terá direito ao valor máximo de R$ 146 mil. As atividades devem ser executadas em até 36 meses. O montante disponibilizado servirá para custear despesas como manutenção de equipamentos e aquisição de softwares, por exemplo, além da contratação de serviços terceirizados e pagamento de passagens e outras bonificações para profissionais em missões voltadas à proposta.

Podem inscrever-se instituições de ensino superior, públicas ou privadas, sem fins lucrativos; institutos e centros de pesquisa e desenvolvimento, públicos ou privados, sem fins lucrativos; ou empresas públicas que executem atividades de pesquisa em ciência, tecnologia e inovação. A chamada coloca como desejável o envolvimento de empresas públicas ou privadas e/ou instituições de pesquisa e desenvolvimento no projeto de pesquisa.

O responsável por cada proposta deve ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente, residente no Brasil, além de possuir título de doutor ou ter o currículo cadastrado na Plataforma Lattes, atualizado até a data limite de submissão da proposta, e ser o coordenador brasileiro do projeto. Também é requerido que esteja formalmente vinculado com a instituição executora da propositura.

A equipe técnica poderá ser constituída por pesquisadores, alunos e técnicos, sejam eles brasileiros ou estrangeiros. Só deverão ser incluídos na equipe aqueles que tenham prestado anuência formal escrita para serem inseridos na proposta. No projeto de pesquisa, deverá ser incluído o currículo resumido dos pesquisadores da equipe estrangeira.

Os projetos selecionados devem ser conhecidos em dezembro deste ano, por meio do Diário Oficial da União (DOU) e pela página oficial do CNPq. O início da contratação das propostas é esperado para o mesmo mês.

Tags:

Chamada Pública, CNPq, MCTI, pesquisa científica

Compartilhe: