Pesquisa realizada no Hospital Marcílio Dias encontrou 35 animais contaminados em 311 avaliados. Os resultados preliminares do estudo, que contou com a participação da bióloga Juliana Aparecida Souza da Paz, mostram uma maior taxa de infecção dos animais pelo SARS-CoV-2 quando comparada ao de pesquisas anteriores

As amostras de sangue dos animais serão analisadas com intuito de verificar se os anticorpos desempenham papel neutralizante do processo de infecção viral

De 311 animais avaliados para a Covid-19, pesquisadores do Hospital Naval Marcílio Dias encontraram 35 animais contaminados. A primeiro-tenente Shana Barroso, bióloga virologista do hospital, explica que foram analisados, pela técnica de RT-qPCR, 251 cachorros e 60 gatos da região de São João de Meriti, no Estado do Rio de Janeiro. Alguns animais apresentavam sintomas gripais, mas a maioria estava assintomática. A pesquisa foi uma das selecionadas pela chamada emergencial da Faperj destinada a apoiar estudos relacionados ao novo coronavírus.

Segundo a pesquisadora, o estudo completo prevê a investigação de cães e gatos domésticos infectados por SARS-CoV-2 e o sequenciamento das amostras, além da avaliação da presença de anticorpos específicos IgG e IgM.

A parceria nessa missão inclui pesquisadores do Laboratório de Biologia Molecular, do Instituto de Pesquisas Biomédicas, do Hospital Marcílio Dias, do Laboratório de Imunofarmacologia da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e médicos veterinários da Clínica Rio Vet.

As amostras de sangue dos animais serão analisadas com intuito de verificar se os anticorpos desempenham papel neutralizante do processo de infecção viral.

A pesquisadora destaca que os resultados preliminares mostram uma maior taxa de infecção dos animais pelo SARS-CoV-2 que os trabalhos já publicados. Os resultados encontrados podem contribuir de forma relevante ao entendimento da infecção de animais domésticos pelo SARS-CoV-2.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os animais domésticos não transmitem a doença para seus donos, mas os donos são capazes de transmitir aos animais que, de uma forma geral, têm um bom desfecho. Estudos da literatura já identificaram o SARS-CoV-2 em tigres e leões de zoológicos.

Tags:

animais, covid-19, RT-qPCR

Compartilhe: