Soluções disponíveis no País, como testes que detectam e identificam a infecção em menos de uma hora, apoiam a decisão médica e salvam vidas

Um estudo conduzido pelo Instituto Latino Americano de Sepse mostrou que 30% dos leitos de terapia intensiva no Brasil estão ocupados com pacientes com sepse ou choque séptico

O Dia Mundial da Sepse (13 de setembro) deve reforçar o alerta sobre uma doença cujos sintomas são comuns, como febre, dificuldade para respirar e pressão baixa, mas que escondem o principal responsável por óbitos dentro de nossos hospitais atualmente. Estima-se cerca de 400 mil casos de sepse no Brasil por ano, dos quais 240 mil tornam-se óbitos.

A sepse, também conhecida como infecção generalizada, é a repercussão ou manifestação sistêmica de uma infecção. A partir de um foco infeccioso, uma infecção urinária ou uma pneumonia, todo o corpo fica comprometido. Isso acontece pela própria resposta inflamatória do organismo ou pela disseminação da infecção através do sangue, atingindo diferentes órgãos.

A mortalidade por sepse hoje no Brasil é elevada, sobretudo em hospitais públicos. Um estudo conduzido pelo Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS) mostrou que 30% dos leitos de terapia intensiva no Brasil estão ocupados com pacientes com sepse ou choque séptico. A letalidade nas UTIs brasileiras é de 55%. O aumento da incidência e a progressiva gravidade desses pacientes faz com que os custos de tratamento também sejam elevados.

Um dos obstáculos para o controle da doença é o atraso no diagnóstico, motivado não apenas pelo desconhecimento da doença pelos pacientes e familiares, mas pela própria equipe de saúde. Por isso, para combatê-la, os especialistas são unânimes: é essencial que o diagnóstico seja rápido e preciso.

O tratamento adequado, quando realizado nas primeiras seis horas, tem clara implicação no prognóstico. Medidas simples, como a realização de alguns exames específicos na primeira hora e alguns procedimentos importantes também podem salvar vidas.

Tecnologia de apoio ao diagnóstico

A bioMérieux, empresa francesa líder mundial em diagnóstico in vitro, oferece no Brasil uma solução completa de combate à sepse, que abrange detecção e identificação de microrganismos. A rapidez é crucial para o tratamento correto ao paciente, especialmente para infecções graves, tais como infecções do fluxo sanguíneo, que podem progredir para sepse grave.

A família de produtos do BacT/ALERT inclui sistemas de detecção microbiana automatizada que oferecem vantagens em todas as dimensões para a realização do teste de hemocultura, entre elas segurança e precisão. Eles proporcionam ambientes ideais para a detecção de uma ampla gama de microrganismos, incluindo bactérias e fungos. Tudo isso em uma única plataforma inovadora que reúne um sistema compacto, modular e flexível.

O sistema BacT/ALERT usa meios para uso com sangue e fluidos corporais estéreis. A tecnologia colorimétrica única supera outras tecnologias, reduzindo falsos-negativos, e o design do frasco de camada tripla garante ambiente adequado para a recuperação confiável de microrganismos.

Já o sistema FilmArray é capaz de detectar e diferenciar, em apenas uma hora, por meio de painéis, vírus, bactérias, protozoários e fungos que causam dezenas de doenças, entre elas a sepse. Em muitos casos, os testes convencionais demoram 24 horas ou mais para fornecer as informações. O equipamento está disponível no Brasil e possui o registro na Anvisa.

Trata-se de uma técnica de biologia molecular, que consiste em uma estação de trabalho, na qual é inserido o painel, uma espécie de cartucho a vácuo, com diferentes reservatórios, onde ficam os reagentes. Nele é injetada a solução de hidratação com uma seringa e depois a amostra a ser analisada.

Finalmente, por meio da técnica chamada Multiplex PCR, em que um fragmento específico da molécula de DNA é amplificado milhares de vezes em curto espaço de tempo, os microrganismos presentes são identificados pelo Software FilmArray e dão origem aos resultados da amostra. Todo o processo leva apenas uma hora para ser concluído.

Tags:

BacT/ALERT, bioMérieux, Dia Mundial da Sepse, FilmArray, infecção generalizada, Multiplex PCR

Compartilhe: