O CIATox funciona 24 horas por dia, 365 dias no ano e realiza, anualmente, cerca de 23 mil atendimentos na área de toxicologia. Foto: Mercedes dos Santos

Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) da Unicamp inaugurou, na tarde de segunda-feira (11), o sistema de cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas sequencial. O equipamento foi adquirido por meio de convênio de cooperação firmado entre a Procuradoria Regional do Trabalho da 15ª Região (MPT) e a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. O valor investido para aquisição do equipamento foi de R$ 600 mil.

De acordo com a procuradora-chefe da Procuradoria Regional do Trabalho da 15ª Região, Maria Stela Guimarães de Martin, o convênio foi assinado em março de 2017 e visa a cooperação técnico-científica na área de toxicologia ocupacional. O recurso foi destinado ao Laboratório de Toxicologia Analítica do CIATox após a minuciosa avaliação e referências sobre o Centro, obtidas pela procuradora do trabalho Danielle Olivares Corrêa Masseran.

“A partir dos laudos técnico-científicos fornecidos pelo CIATox por meio dessa cooperação, todos os procuradores do trabalho terão uma atuação mais eficiente”, revelou Maria Stela.

José Luiz da Costa, docente da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) e coordenador do Laboratório de Toxicologia Analítica (LTA), revelou que o equipamento trará um aumento significativo na qualidade dos exames toxicológicos realizados pelo CIATox. “A prioridade é atender as solicitações dos médicos do trabalho, mas vamos usar também o equipamento para o ensino, pesquisas em toxicologia, diagnóstico e assistência aos pacientes atendidos pelo CIATox”, disse.

“Com esse equipamento, conseguimos identificar os toxicantes em concentrações extremamente baixas”, explica o toxicologista Rafael Lanaro, que trabalha no Laboratório de Toxicologia Analítica do CIATox.

Fábio Bucaretchi, coordenador do CIATox, destacou o protagonismo do Centro na formação e capacitação de alunos estagiários das faculdades de medicina e enfermagem da Unicamp, desde sua criação, em 1982, pelo médico e professor da FCM, Ronan J Vieira. Bucaretchi informou durante a solenidade da entrega do equipamento, que o CIATox funciona 24 horas por dia, 365 dias no ano e realiza, anualmente, cerca de 23 mil atendimentos na área de toxicologia. “A incorporação desse novo equipamento ao Laboratório de Toxicologia do CIATox permitirá uma importante melhora na capacidade diagnóstica do serviço. O convênio com o MPT terá a duração de cinco anos a partir da data de sua assinatura”, disse.

O diretor associado da FCM, Roberto Teixeira Mendes ressaltou a importância do acordo de cooperação. “O resultado virá. A competência está aqui”, comentou. O coordenador de assistência do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, Antonio Gonçalves de Oliveira Filho, disse que o equipamento trará maior segurança aos pacientes atendidos no HC. “Espero que sejamos intoxicados por essa parceria”, sentenciou.

Joaquim Murray Bustorff Silva, chefe de gabinete da Unicamp, disse que a universidade tem um forte compromisso social e a parceria com o Ministério Público o Trabalho demonstra isso. “A Unicamp é uma instituição que se propõe a trabalhar com outras instituições em prol da comunidade”, disse Bustorff. Com informações da Unicamp

Tags:

Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) da Unicamp, cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas sequencial, exames toxicológicos

Compartilhe: