O acesso remoto permite a colaboração entre colegas e consultorias externas em tempo real para um diagnóstico mais preciso, sobretudo para as lâminas mais desafiadoras

A tecnologia CellaVision já é adotada em muitos laboratórios de análises clínicas no mundo. A utilização de redes neurais artificiais para a pré-classificação de leucócitos e eritrócitos ajuda profissionais de laboratórios a obterem resultados mais precisos e padronizados, garantindo maior eficiência e confiabilidade.

Agora, laboratórios veterinários podem contar com a mesma tecnologia CellaVision para amostras caninas, felinas, aviárias e outros mamíferos. A plataforma de análise CellaVision é a mesma utilizada para amostras humanas, mas o software desenvolvido é totalmente dedicado para amostras veterinárias. Assim, estes laboratórios poderão obter os mesmos benefícios que os grandes laboratórios de análises clínicas possuem quanto ao aumento da produtividade, eficiência, padronização e redução de resultados falsos-negativos.

Outra característica presente no CellaVision Vet é o laudo personalizado, onde é possível gerar um laudo que inclui imagens das células de interesse, selecionadas pelo usuário, além de informações adicionais e logotipo do laboratório. O laudo personalizado pode ser salvo em formato pdf.

Assim como na versão humana, o CellaVision Vet conta com o acesso remoto, onde é possível analisar e assinar exames à distância, seja dentro do próprio laboratório, em unidades diferentes de onde o equipamento se encontra instalado ou até mesmo em home-office. O acesso remoto permite a colaboração entre colegas e consultorias externas em tempo real para um diagnóstico mais preciso, sobretudo para as lâminas mais desafiadoras.

Para amostras caninas e felinas:

O software de sangue periférico pré-classifica automaticamente os leucócitos nas seguintes classes: neutrófilos segmentados, bastonetes, eosinófilos, basófilos, linfócitos, monócitos e outros. Ainda, pré-classifica elementos não-leucócitos em eritroblastos, trombócitos gigantes, agregação plaquetária, células esmagadas e artefatos.

Para amostras aviárias:

O software de sangue periférico pré-classifica automaticamente heterófilos, eosinófilos, basófilos, linfócitos e monócitos. Além disso, pré-classifica elementos não leucocitários em trombócitos gigantes, agregação plaquetária e artefatos.

Mais informações:
[email protected]

Tags:

CellaVision, laboratórios veterinários

Compartilhe: