Teste da multinacional detecta anticorpos que visam o domínio de ligação do receptor da proteína Spike

A multinacional tem aumentado a sua produção para fornecer mais de 30 milhões de testes por mês

A Beckman Coulter anuncia que o seu teste Access SARS-CoV-2 IgG foi aprovado pela Anvisa. A empresa que já enviou testes para mais de 400 hospitais, clínicas e laboratórios de diagnóstico nos Estados Unidos inicia, agora, o fornecimento para clientes ao redor do mundo, incluindo a América Latina. A multinacional tem aumentado a sua produção para fornecer mais de 30 milhões de testes por mês.

Diferentemente da maioria dos exames já disponíveis no Brasil, o Access SARS-CoV-2 IgG da Beckman Coulter detecta anticorpos contra a proteína Spike, que podem ser capazes de neutralizar o coronavírus, ou seja, impedir a sua reentrada no organismo. É contra ela que, futuramente, poderá ser produzida a vacina contra Covid-19.

“O nosso teste já foi usado com outros vírus, como influenza, por exemplo, e não houve reação cruzada. Essa informação é muito importante, considerando que já estamos no inverno. Além disso, houve uma testagem ampla, com mais de 1400 amostras na França e nos Estados Unidos, com 99,8% de especificidade clínica comprovada e, após o 18º dia do início dos sintomas, 100% de sensibilidade. Ou seja, foi um teste com ótimo resultado em um público heterogêneo e grande”, explica Daniela Putti, líder de marketing da multinacional na América Latina.

Quando se pensa em um intervalo de tempo anterior, de 0 a 6 dias do início dos sintomas, o teste da Beckman Coulter aparece, atualmente, com a melhor sensibilidade do mercado: 70,2%. Outro destaque é que ele também ajudará na identificação de doadores de plasma convalescente no combate à uma possível segunda onda de infecções por Covid-19.

De acordo com Daniela, a testagem é fundamental neste momento que vive o país, para uma análise epidemiológica mais precisa, reabertura do comércio e retomada da economia. “O teste da Beckman Coulter é de alta qualidade e pode permitir o sistema de saúde usar melhor os recursos que sabemos ser tão escassos. Poder testar mais gente é um fator crítico para nosso país.” A testagem em massa da população é, inclusive, uma recomendação da OMS, a Organização Mundial da Saúde.

O exame que a Beckman Coulter traz ao Brasil é realizado via sorologia qualitativa e indica se houve exposição ou não ao SARS-CoV-2. O teste processa apenas a imunoglobulina G (IgG), anticorpo mais específico e que também permanece por mais tempo no organismo. Por isso, tem especificidade maior, o que aumenta a chance de detectar resultados verdadeiramente negativos.

Tags:

Access SARS-CoV-2 IgG, Beckman Coulter, proteína spike

Compartilhe: