No dia 22 de março é comemorado o Dia Mundial da Água; a data alerta a população sobre a importância do recurso, também crucial para análises clínicas em laboratórios

A água “pura” utilizada no laboratório não deve ser estocada. Cada local deve produzir a quantidade necessária para um dia de trabalho

A água é um recurso indispensável para a manutenção de vida na Terra. Para os seres humanos, ela tem a função de manter a hidratação do corpo, transportar substâncias, regular a temperatura corporal, participar de reações químicas, entre outras funções. Por este e outros motivos, a possível escassez de água no mundo pode comprometer de forma severa a nossa existência.

Apenas 0,77% da água existente no planeta está disponível para consumo humano, sendo que essa quantidade não está distribuída igualmente em todo território, o que acaba gerando conflitos pela água entre diferentes povos. Com o intuito de ampliar as discussões sobre este recurso e alertar a população sobre a preservação da água para sobrevivência dos ecossistemas terrestres, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou o Dia Mundial da Água, comemorado no dia 22 de março.

Esta data foi escolhida em 1992, ano em que a ONU divulgou também a Declaração Universal dos Direitos da Água, que apresenta a importância deste recurso e serve como base para medidas de utilização da água. Em linhas gerais, o documento defende que água faz parte do patrimônio do planeta, por isso não deve ser desperdiçada. A gestão de seu uso impõe, ainda, um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Água Grau Reagente

Em um laboratório clínico, a água também é um recurso de extremo valor. Trata-se de um reagente químico, amplamente utilizado e de baixo custo. Por isso, a água requer os mesmos cuidados de qualquer outro reagente. Para que ela seja considerada um reagente, entretanto, ela deve ser “pura”. Nos laboratórios, isso significa que a água utilizada deve conter uma quantidade mínima de contaminantes (íons, matéria orgânica, inorgânica e microrganismos) e ser capaz de atender a diferentes aplicações.

Normalmente, para que o local obtenha a água “pura”, são utilizados três métodos diferentes e complementares: filtração inicial para reter partículas e bactérias, filtração com carvão ativado para reter matérias orgânicas e passagem pelo sistema deionizador, que retém os íons da água. Entretanto, há outros métodos que podem ser utilizados pelo laboratório, como a osmose reversa e a destilação.

Segundo Pollyanna Pimentel, coordenadora de Controle da Qualidade da Labtest, a qualidade da água de um laboratório deve ser medida regularmente para que este reagente não prejudique as análises realizadas nem impacte negativamente nos resultados obtidos nos exames. “Uma forma de observar a qualidade da água é por meio da determinação de silicato, pois este é o primeiro parâmetro que se altera quando a água está fora dos conformes. A Labtest comercializa, inclusive, um produto capaz de determinar a quantidade de silicato na água, o Silicato MA Ref. 603“, explica.

Pollyanna também afirma que a água “pura” utilizada no laboratório não deve ser estocada. Cada local deve produzir a quantidade necessária para um dia de trabalho. Caso a água fique armazenada por um período maior que este, corre-se o risco de sua pureza ser alterada.

Quem define o grau de pureza e a qualidade da água é o próprio laboratório. Isso foi definido pela RDC 302/2005 da ANVISA, que determina: “O laboratório clínico e o posto de coleta laboratorial devem definir o grau de pureza da água reagente utilizada nas suas análises, a forma de obtenção, o controle da qualidade”.

Pollyanna Pimentel explica que, na Labtest, as medições que determinam a qualidade da água são feitas diariamente por causa do processo produtivo da indústria, mas, para um laboratório, o ideal é que isso seja feito, no mínimo, semanalmente. “Também é necessária a troca dos filtros regularmente, mesmo que não haja modificação nos valores de determinação da qualidade. Os laboratórios devem ficar atentos a isso. A preocupação com a qualidade da água grau reagente deve ser um processo constante”, alerta.

Para saber mais, consulte a Publicação Técnica sobre a Água como Reagente. Conte também com o apoio da Assessoria Científica da Labtest: 0800 31 3411. Acompanhe os posts da empresa e assine a Newsletter para ficar por dentro das novidades.

Tags:

água, Água Grau Reagente, Dia Mundial da Água, Labtest

Compartilhe: