Legionella é uma bactéria aquática e tem sido isolada em sistemas de ar condicionado, que apresentam condições favoráveis para proliferação

Com a chegada do verão, as temperaturas se elevam e o uso de aparelhos de ar condicionado é inevitável. O problema é que, apesar do conforto térmico oferecido pelo aparelho, estamos expostos à ação nociva da bactéria Legionella.

O gênero Legionella tem sido reconhecido como importante agente etiológico causador da doença do trato respiratório, a Legionelose ou doença do Legionário, conhecida assim após a Convenção da Legião Americana em 1976, na Filadélfia, onde 34 participantes morreram e 221 adoeceram com pneumonia.

A doença do Legionário se caracteriza por pneumonia aguda com febre alta, dores de cabeça, calafrios, diarreia e tosse seca, mas pode resultar em graves complicações, incluindo a morte em situações extremas. Uma vez que a Legionella pneumophila é aspirada, ela se aloja nos alvéolos pulmonares e pode causar uma forte pneumonia.

Legionella é uma bactéria aquática e tem sido isolada em sistemas de ar condicionado, que apresentam condições favoráveis para proliferação. A presença desses organismos em sistemas de ar configura um problema de Saúde Pública, pois essas bactérias podem ser inaladas juntamente com partículas suspensas de poeira ou aerossóis originários dos sistemas de ar condicionado.

Existem 50 espécies e 70 serogrupos distintos. Pelo menos 20 espécies de Legionella estão associadas a doenças no ser humano, a Legionella pneumophila (16 serogrupos) é responsável por 70 a 90 % das infecções no homem.

No Brasil, existem diversos estudos sobre o assunto. Um estudo avaliou a ocorrência do gênero Legionella em amostras de água de residências, edifícios públicos, hospitais e plantas industriais em São Paulo e encontraram que, das 69 amostras analisadas, seis foram positivas para a presença de Legionella sp.

Outro estudo analisou amostras de água de cinco hospitais no Rio de Janeiro. O resultado revelou a presença de Legionella pneumophila sorogrupo 1 em todas as amostras examinadas.

Um estudo analisou 67 amostras de água de reservatórios naturais, torres de resfriamento, clínicas dentárias, sistemas de aquecimento e condensadores na cidade de São Paulo e encontrou o gênero Legionella em nove amostras.

Esses resultados denotam que a manutenção preventiva desses equipamentos merece especial atenção. A presença dessa bactéria representa risco aos ocupantes de ambientes climatizados, especialmente no ambiente hospitalar.

A ECO Diagnóstica possui o teste ECO F Legionella Ag de imunoensaio de fluorescência para medição qualitativa de antígenos dos sorogrupos 1,3,5,6 e 8 de L. pneumophila. O teste ECO F Legionella Ag é completo com controle positivo e negativo e possui procedimento simples, prático e fácil de realizar.

Utilizando apenas 100uL de amostra sem preparo, os analisadores ECO Reader F liberam os resultados em 15 minutos, com detecção precoce disponível em 5 minutos para amostras fortemente positivas. Todos os resultados são liberados com valor de Índice de Corte (COI), informando o nível de infecção do paciente.

O teste possui estudo de comparação com as metodologias existentes no mercado apresentando sensibilidade e especificidade de 100% para amostra concentrada de urina e sensibilidade de 93%, especificidade de 100% para amostra não concentrada.

Para mais informações: (31) 3653-2025 | [email protected]

Fonte:

– Razzolini, M.T.P; Etto, H. Y. Detecção de bactérias do gênero Legionella em amostras de água de sistemas de ar condicionado. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v20 n4 Brasília dez 2011.

Tags:

bactéria, Doença do Legionário, ECO Diagnóstica, Legionella

Compartilhe: