Muitos ainda acreditam que se podem pagar, podem consumir a quantia e o modo que bem entender. Mas isso não só não vale para o consumo em geral, como é no mínimo irresponsável quando se trata dos recursos naturais.

Em tempos de recursos hídricos escassos por todo o mundo, mais que um debate político, o momento exige uma discussão muito mais ampla, por uma nova consciência de consumo. E os maiores responsáveis pelo esgotamento de bens naturais somos nós mesmos e não temos outra saída senão tomarmos essa consciência.

Em termos gerais, consumismo é uma prática que já é identificada como algo negativo. Mesmo assim, quando se trata de bens naturais, como água e energia, ainda não são reconhecidos como bens finitos e que, por isso, independente do poder aquisitivo de cada um, são limitados para todos.

Mesmo com campanhas de uso racional, assumindo que São Paulo não dispõe de água e por isso busca de outros Estados; mesmo sabendo que dependemos da imprevisibilidade da meteorologia para as chuvas e que todas as ações e gestões envolvem uma série de fatores complexos para serem implementadas; ainda assim, não há uma verdadeira consciência coletiva sobre o valor da água.

Construção de novos sistemas para auxiliar o abastecimento de água e tratamento de esgoto, dessanilização, novas tecnologias que permitem menor custo e maior rapidez nos processos, utilização de águas subterrâneas, parcerias etc. Independente do partido político, do tipo de investimento ou do planejamento a economia de água por parte da população é indispensável.

A pedido do jornal Folha de São Paulo, Sabesp e AES Eletropaulo calcularam a economia feita com a mudança de alguns hábitos de uma família de quatro pessoas. A economia total no período de um ano pode chegar a R$ 900. Confira no site da Sabesp e veja como pequenos hábitos podem gerar grandes mudanças, não somente para o planeta, mas também para o seu bolso.

Compartilhe:

Karla Ichiba
Publicado por Karla Ichiba

Karla Ichiba é diplomada em política pelo Governo do Estado de São Paulo e em assessoria política pelo Grupo Marco Iten. Estudou no Colégio Santa Cruz, é jornalista pela FIAM e publicitária pela FAAP. Atuou na Petrobras em comunicação e responsabilidade social e atualmente trabalha na Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp).

Este conteúdo é de responsabilidade do colunista e não expressa a opinião do LabNetwork.