Com o crescimento da classe média no Brasil nos últimos anos, o acesso a serviços de saúde por meio de planos privados teve um aumento muito significativo. Com mais pessoas tendo acesso a esses serviços surgem vários questionamentos, dentre eles o que o paciente faz com os resultados que recebe dos laboratórios.

Quando não estamos nos sentindo bem, marcamos uma consulta com nosso médico, que comumente pedirá exames de rotina, como hemograma, bioquímica, hormônios etc. Então, com o pedido desses exames em mãos, vamos ao laboratório, coletamos sangue e, depois de pronto, pegamos os resultados para levar no retorno ao médico.

A primeira coisa que fazemos é abrir o envelope e olhar os resultados e laudos. Como hoje em dia a maioria das pessoas tem acesso à internet, qualquer coisa que queiram pesquisar está apenas a um clique de distância, no “Dr. Google”.

É aí que entra a preocupação. A internet é muito útil, mas tem que ser usada com discernimento, pois não carrega a verdade absoluta. E, em meio a tanta informação, os pacientes digitam seus resultados em redes sociais, blogs, sites, na esperança de descobrir o que pode estar de errado com sua saúde. E como leigos que são, podem encontrar informações erradas ou falsas, levando a medidas desesperadas.

Não precisamos ir muito longe. Um conhecido meu recebeu o resultado de seu exame histopatológico e, ao ler, se deparou com o termo “neoplasia maligna”. Vocês podem imaginar como esse resultado afetou seu emocional. Levando o resultado ao médico, foi solicitado exames mais modernos, sensíveis e específicos. O resultado: apenas uma neoplasia benigna.

Uma coisa é certa: não podemos privá-los do direito de ter acesso às informações a respeito de sua saúde. Porém, não podemos ser coniventes com essa atitude desesperada de tentar achar respostas para tudo na internet. O que devemos fazer, caso nos encontremos em casos semelhantes, é orientar essas pessoas a procurarem seu médico de confiança, pois ele saberá o que fazer com aquela informação.

Compartilhe:

Publicado por Brunno Câmara

Biomédico com habilitação em Análises Clínicas, residente em Hematologia e Hemoterapia no Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Cofundador e ex-presidente da Liga Acadêmica de Análises Clínicas da Faculdade Padrão. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão.

Este conteúdo é de responsabilidade do colunista e não expressa a opinião do LabNetwork.