Exame investiga as três doenças de uma só vez, facilitando o diagnóstico e agilizando o tratamento

O teste consegue detectar, de uma só vez, os vírus da dengue, da zika ou da chikungunya a partir do primeiro dia dos sintomas

Febre, dor de cabeça, dor muscular, dor nos olhos, manchas vermelhas na pele… A dengue, a zika e a chikungunya, em sua fase aguda, apresentam tantos sintomas parecidos que é difícil ter um diagnóstico preciso apenas com uma análise clínica ou laboratorial. Muitas vezes, o paciente recebe apenas um diagnóstico presuntivo, pois a janela de oportunidade para identificar os vírus é estreita, seria preciso realizar vários testes e, felizmente, a conduta clínica pode ser suficiente.

Contudo, algumas vezes, como em casos graves, atípicos ou em gestantes, o diagnóstico e a diferenciação dos vírus podem ser importantes. Para viabilizar o diagnóstico, um novo exame laboratorial está sendo realizado por meio de um método molecular chamado PCR Trio. O teste consegue detectar, de uma só vez, os vírus da dengue, da zika ou da chikungunya a partir do primeiro dia dos sintomas.

A orientação é realizar este tipo de exame até o sexto dia do aparecimento dos sintomas. “O exame é o mais indicado para identificar precisamente cada vírus, pois utiliza uma metodologia que detecta pequena quantidade de material genético e, assim, diagnostica se há vírus presente e de qual deles se trata”, explica a diretora técnica do laboratório Geraldo Lustosa, a médica patologista clínica Luisane Vieira. Segundo a médica, os testes que pesquisam apenas anticorpos (sorológicos) podem dar resultados cruzados entre os vírus, devido “à sua grande semelhança”.

No laboratório Geraldo Lustosa, em Belo Horizonte, o teste PCR Trio pode ser feito por meio de coleta domiciliar, sem jejum, e sai mais em conta do que se o paciente fosse realizar três testes moleculares PCR separadamente. “Isso acontece porque o processo da extração do material genético dos vírus para a análise acontece uma só vez, otimizando o PCR Trio,” destaca Luisane.

De acordo com a médica, a grande vantagem do PCR Trio é que o médico pode ser esclarecido sobre qual infecção está presente no organismo na primeira semana desde o início dos sintomas e pode tomar a conduta mais adequada para o tratamento e acompanhamento do paciente.

Tags:

chikungunya, dengue, Laboratório Geraldo Lustosa, PCR Trio, zika

Compartilhe: