Evento traz alguns dos mais importantes pesquisadores da comunidade internacional e brasileira para falar sobre abordagens terapêuticas como a CAR Cells, técnica que reprograma células de defesa do organismo contra certos tipos de câncer, como leucemia

Em destaque estarão temas como os avanços no tratamento de doenças oncohematológicas, com destaque para a técnica CAR Cells

Proporcionar a atualização científica em terapia celular em diversas áreas, incluindo hematologia, oncologia, nefrologia, ortopedia, ginecologia e dermatologia. Esse é o objetivo do 1º Fórum Internacional de Terapia Celular Einstein/XXVI Simpósio Internacional de Hemoterapia e Terapia Celular, que será realizado de 5 a 7 de abril no Auditório Moise Safra (Hospital Israelita Albert Einstein).

Em destaque estarão temas como os avanços no tratamento de doenças oncohematológicas, com destaque para a técnica CAR Cells (receptor de antígeno quimérico). Ela consiste em reprogramar geneticamente células do sistema de defesa, caso dos linfócitos T, para reconhecer e atacar células cancerosas, como as da leucemia linfoide aguda.

A pesquisadora Katy Rezvani, do MD Anderson Cancer Center (Texas/EUA), um dos centros oncológicos mais renomados no mundo e parceiro da Oncologia do Einstein, falará sobre a CAR Cell com uso de células imunes chamadas de natural killers ou NK. As NK são conhecidas por sua função na defesa de qualquer corpo estranho ao organismo. Trata-se de uma nova abordagem de engenharia celular para tratar cânceres. Diferentemente das células T, as NK podem ser utilizadas em qualquer pessoa com risco reduzido de rejeição. Elas são reprogramadas para atingir um tipo maligno de linfócito B, o CD19. Estão sendo realizados estudo em pacientes com leucemia linfoide crônica, leucemia linfoide aguda e linfoma não-Hodgkin.

Elizabeth Shpall, que participa das pesquisas com Rezvani e também integra a equipe do MD Anderson Cancer Center, explorará o tópico terapia celular no tratamento da doença do enxerto contra hospedeiro. Ela acontece quando as células da medula óssea ou células-tronco do doador atacam o receptor. Isso pode ocorrer depois de um transplante de medula óssea, estando associado à alta taxa de mortalidade.

Já Lucila Nassif Kerbauy, especialista em transplante de medula óssea pelo Hospital Israelita Albert Einstein e atual post-doctoral fellow pelo Departamento de Transplante de Medula Óssea e Terapia Celular do MD Anderson Cancer Center, também falará sobre o tema CAR NK 123 no tratamento de leucemia mieloide aguda.

Outra presença confirmada é da especialista em pediatria oncológica e hematológica, Joane Kurtzberg, da Duke University School of Medicine (Carolina do Norte/EUA). Entre suas áreas de investigação está o uso de sangue de cordão umbilical autólogo (da própria pessoa) em crianças com autismo e paralisia cerebral.

Já a hematologista Punam Malik, do Cincinnati Children’s Hospital (Ohio/EUA) explanará sobre a terapia gênica no tratamento da anemia falciforme, doença genética com grande impacto na qualidade de vida dos pacientes. Nesse tipo de problema, os glóbulos vermelhos assumem o formato de foice. As células morrem prematuramente, causando uma escassez de hemácias saudáveis, o que leva à anemia, e podem obstruir o fluxo sanguíneo, causando dor.

O pesquisador Mark Osborn, da Universidade de Minnesota (EUA), falará sobre uma nova técnica de manipulação genética das células o CRISPR/CAS9, e suas aplicações no tratamento de várias doenças.

Abordando opções terapêuticas na oncologia, duas especialistas em melanoma, a Dra. Chantale Bernatchez e a Dra. Marie-Andree Forget, do MD Anderson Cancer Center, explanarão sobre uma técnica com linfócitos do tumor, que, após seleção e expansão, são utilizados no tratamento desse câncer de pele. Outros assuntos em pauta no simpósio serão terapia celular aplicada à ortopedia e aspectos regulatórios.

Local do Evento
Auditório Moise Safra
Av. Albert Einstein, 627 – 1º andar – Morumbi – São Paulo, SP

Tags:

1º Fórum Internacional de Terapia Celular Einstein/XXVI Simpósio Internacional de Hemoterapia e Terapia Celular, Hospital Israelita Albert Einstein, técnica CAR Cells

Compartilhe: