EscherichiaColi_Wikipedia

Escherichia coli. Fonte: Wikipedia

A bactéria Escherichia Coli, considerada super-resistente e rara, foi isolada em exame realizado pelo LANAC, em umas das unidades hospitalares de coleta do laboratório. A Escherichia Coli é um grupo de bactérias que habitam normalmente no intestino humano e de alguns animais, e por isso a presença desta bactéria na água ou nos alimentos se deve à contaminação com fezes. As bactérias E. coli presentes no intestino humano não causam problemas de saúde, mas quando outros tipos desta bactéria entram no organismo, elas podem causar doenças como a gastroenterite e infecção urinária, por exemplo. A E. coli pode sofrer mutações genéticas e adquirir resistência aos antibióticos de alta potência, utilizado nos hospitais.

O bioquímico Marcos Kozlowski, responsável técnico do laboratório, alerta para as atitudes simples que impedem as infecções por bactérias. “É importante lavar as mãos com frequência, evitar colocá-las em contato com boca, nariz, olhos e ouvidos quando estão sujas e manter o corpo descansado e bem alimentado – isso ajuda o sistema imunológico a se manter forte”, explica, lembrando que é preciso sempre higienizar bem os alimentos, especialmente saladas cruas, não reaquecer mais de 1 vez a comida já pronta, consumir sempre água filtrada ou fervida e lavar bem as mãos antes e depois de usar o banheiro.  O bioquímico lembra também que o simples ato de lavar bem as mãos é a principal arma contra as infecções hospitalares.

Segundo o especialista, o uso indiscriminado de antibióticos faz com que bactérias comuns se tornem cada vez mais resistentes, sofrendo mutações e criando forte resistência aos medicamentos, tornando-se superbactérias. O controle de venda de antibióticos começou no Brasil em abril de 2013, que só pode ser vendido mediante a apresentação e retenção da receita, que vale somente por 10 dias.

Tags:

bactéria, Escherichia coli, LANAC

Compartilhe: