bebê_freeimages

Exames POC auxiliam médicos de forma imediata, contribuindo para decisão de conduta terapêutica mais assertiva.

Hospitais estão trabalhando com capacidade máxima devido ao aumento do número de doenças respiratórias e pulmonares, comuns nesta época do ano. O vírus sincicial respiratório (VSR), responsável por causar quadros de bronquiolite e pneumonia, por exemplo, representa perigo ainda maior para bebês e crianças de até dois anos de idade com problemas de saúde relacionadas ao coração e pulmão.

Centros privados chegaram a fechar as portas esta semana por não ter disponibilidade em atender todos, conforme expõe matéria do jornal Folha de S.Paulo – inclusive, há relatos de mais de 24 horas de espera por leitos. O uso de tecnologias que permitem diagnóstico rápido pode ajudar a conter o problema de falta de vagas nos hospitais pediátricos, uma vez que agilizam o processo de liberação dos que dão entrada nos prontos socorros.

Nesses casos, os exames Point Of Care (POC) são fundamentais – sua disponibilidade nas salas de emergência permite também a isolamento do paciente, evitando a transmissão do vírus. Esta ferramenta auxilia médicos de forma imediata, contribuindo para decisão de conduta terapêutica mais assertiva.

As infecções causadas pelo VSR ocorrem no mundo todo. São registrados cerca de 60 milhões de casos e 160 mil mortes por ano, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). O vírus age em geral nas regiões sul e sudeste do País, principalmente durante o outono e inverno.

O Dr. Adelino de Melo Freire Jr. Infectologista e chefe da Comissão de Infecção Hospitalar do Hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte (MG) reitera a importância do diagnóstico rápido e preciso, bem como os benefícios dos exames de Point of Care.

Tags:

doenças respiratórias e pulmonares, exames Point Of Care (POC), vírus sincicial respiratório

Compartilhe: