Enterobacter são bacilos Gram negativos, da família Enterobacteriaceae. Várias cepas dessas bactérias são patogênicas e podem causar infeções oportunistas em pacientes imunocomprometidos e em pacientes internados em hospitais. Os tratos respiratórios e as vias urinárias são os sítios mais comuns de infecção. O gênero Enterobacter faz parte do grupo de bactérias coliformes, não pertencendo aos coliformes fecais (ou coliformes termotolerantes), como a E. coli, visto que não cresce à temperatura de 44,5ºC na presença de sais biliares.

Claudio Hirai, Farmacêutico-Bioquímico, membro da Farmacopeia Brasileira do Comitê Técnico Temático de Microbiologia, membro da American Society of Microbiology e autor de diversas publicações em revistas científicas, esclarece sobre a ação desses microrganismos:

Quais são as espécies mais comuns de Enterobacter?
As espécies mais comumente isoladas deste gênero são a E. aerogenes e a E. cloacae. Esses microrganismos têm sido identificados cada vez mais como a causa de infecções hospitalares e também estão associados ao consumo de fórmulas infantis.

Como ele se diferencia do gênero Klebsiella?
O gênero Enterobacter pode ser diferenciado do gênero Klebsiella pela sua motilidade, usualmente descarboxila a ornitina, e não produz urease, além disto a maioria das cepas de Enterobacter são resistentes à cefatina e cefoxitina, enquanto que as espécies de Klebsiella são sensíveis a esses antibióticos.

Quantas espécies de Enterobacter são conhecidas?
São conhecidas 14 espécies de Enterobacter, que são citadas na edição mais recente do Manual of Clinical Microbiology. Somente algumas dessas espécies têm sido isoladas em infecções em seres humanos. Dentre elas podemos citar a Enterobacter aerogenes, Enterobacter cloacae, Enterobacter agglomerans e a Enterobacter sakazakii. Essas outras espécies são isoladas com menor frequência em infecções em seres humanos: Enterobacter taylorae, Enterobacter gergoviae, Enterobacter asburiae e a Enterobacter amnigenus.

Como as enterobactérias são diferenciadas?
A Enterobacter aerogenes e a Enterobacter cloacae, que são as espécies mais comuns em infecções em seres humanos, podem ser diferenciadas pelos testes da lisina descarboxilase e arginine hidrolase. A Enterobacter sakazakii pode ser diferenciada da Enterobacter cloacae pela incapacidade de fermentar o d-sorbitol e a produção de um pigmento de cor amarela. A Enterobacter agglomerans representa um grupo diversificado que frequentemente produz uma pigmentação amarela das suas colônias, cresce a 4ºC e é negativo nos testes de descarboxilase/dihidrolase. Digno de nota que a Enterobacter agglomerans teve seu nome modificado recentemente para Pantoea agglomerans, para refletir o distanciamento do gênero Enterobacter.

Aonde elas são mais encontradas?
As espécies de Enterobacter podem ser encontradas nas fezes de humanos e animais, na água, plantas, insetos e em produtos de laticínios, como leite, queijos manteiga etc. Casos de infecções hospitalares têm sido atribuídos à contaminação de soluções intravenosas, produtos de bancos de sangue, água destilada, estetoscópios, swabs de algodão, soluções lipídicas de nutrição parenteral etc.

Elas são consideradas oportunistas?
Sim, as espécies de Enterobacter são oportunistas e raramente causam doença em indivíduos sadios. Como patógenos oportunistas somente há pouco tempo foram reconhecidos como causa importante de infecções hospitalares. Muito pouco se conhece a respeito da sua patogenicidade e virulência. Como patógenos Gram negativos eles possuem endotoxina e, assim, têm todas as características patogenéticas devido a este fator de virulência. Além da endotoxina, pouco se conhece do potencial patogênico das cepas de Enterobacter. Tendo em vista que as infecções causadas pelo Enterobacter estão frequentemente associadas ao emprego de cateteres, houve uma suspeita de que os Enterobacter spp. teriam uma afinidade maior com estes materiais do que outros microrganismos. Entretanto, outros estudos não comprovaram esta associação.

Que outras características são dignas de nota?
A maioria dos aspectos epidemiológicos das infecções causadas pelos Enterobacter reflete mais a característica oportunista do que fatores intrínsecos de virulência do microrganismo envolvido. Por exemplo, infecções causadas pelo Enterobacter sakazakii e a Enterobacter agglomerans são muito menos comuns que aquelas causadas pelo Enterobacter cloacae e a Enterobacter aerogenes. As infecções causadas pelo Enterobacter sakazakii são mais comuns em recém-nascidos e este microrganismo tem sido isolado em leite em pó e fórmulas infantis. Se a predileção pelos recém-nascidos reflete um fator de virulência ou o fato de que o microrganismo é um colonizador dos recém-nascidos pela oportunidade, é um fato a ser esclarecido ainda. De modo geral, muito mais precisa ser pesquisado a respeito do gênero Enterobacter e seu potencial patogênico.

Referência Bibliográfica:

Clin. Microbiol. Rev. Abril, 1997, p220-241 – Enterobacter spp: Pathogens Poised to Flourish at Turn of Century. Sanders, W.E. and Sanders, C.C.

 

Artigo relacionado, escrito pelo mesmo autor:

A contaminação microbiana por Cocos Gram positivos
bcq-logo

Esta seção é de responsabilidade da BCQ  Consultoria e Qualidade
Mais informações: (11) 5539-6710
http://www.bcq.com.br

 

 

Compartilhe: