Kit realiza a detecção simultânea de mais de 40 patógenos e também 20 genes de resistência a antibióticos

xgenA sepse é uma resposta inflamatória do corpo humano que atua como mecanismo de defesa contra uma infecção grave, geralmente causada por bactérias, mas também desencadeada por outros microrganismos como fungos, vírus ou parasitas.

Infelizmente a sepse é hoje uma das principais causas de morte nas unidades de terapia intensiva (UTI). Um estudo realizado pelo ILAS (Instituto Latino Americano da SEPSE) estima que mais de 400 mil casos são registrados apenas no Brasil todos os anos e cerca de 55,7% deles, ou seja, mais da metade das ocorrências, resultam em óbito.

A mortalidade é um dos grandes problemas enfrentados por diferentes países, porém os números são maiores em países com menos recursos. Ainda segundo o ILAS, em países como Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia os casos de morte relacionados à sepse estão em declínio, porém no Brasil não houve redução significativa. Isso se deve também aos custos atribuídos ao tratamento. Estima-se que nos Estados Unidos o valor chega a US$38 mil, enquanto no Brasil esse valor chega a US$9,6 mil por paciente.

Muito mais do que as despesas atribuídas ao tratamento da sepse, estão os custos sociais e as vidas que se perdem pela ineficiência terapêutica e diagnóstico tardio. O desafio está justamente em reduzir o tempo necessário para fazer um diagnóstico com métodos eficientes, de modo a melhorar o tratamento dado aos pacientes nestas condições.

O quadro de sepse passa por 3 estágios: começa com sepse, progride para sepse grave e depois choque séptico. O objetivo é realizar o tratamento já no estágio inicial, antes de ocorrer o agravamento da situação.  O medicamento adequado administrado nas primeiras horas está diretamente ligado à taxa de sobrevivência dos pacientes.

Outro ponto muito importante é o monitoramento da resistência aos antibióticos. A redução da carga bacteriana ou fúngica é fundamental para o controle da resposta inflamatória e antibióticos de largo espectro são administrados por via intravenosa para que isso ocorra. Porém entre 30 a 50% das vezes estes antibióticos “empíricos” estão incorretos. Os hospitais enfrentam elevados índices de resistência bacteriana devido ao uso excessivo e indevido de agentes antimicrobianos. Poucas opções de novos fármacos estão disponíveis e isso exige um esforço rigoroso para realizar a administração adequada de medicamentos, reduzindo as taxas de resistência.

Assim a detecção precoce, a identificação precisa do patógeno causador e o fármaco correto administrados são fatores essenciais para o sucesso do tratamento dos pacientes.

Hoje, o diagnóstico depende de critérios fisiológicos inespecíficos e da detecção de patógenos baseados em cultura. Isso resulta em incerteza diagnóstica, atrasos terapêuticos, uso inadequado ou excessivo de antibióticos.

Para ajudar a reverter essa situação e reduzir o número de complicações vinculadas à sepse, a XGEN lança seu novo kit para detecção simultânea de mais de 40 patógenos relacionados a sepse e mais 20 marcadores de genes de resistência a antibióticos.

O teste XGEN MULTI SEPSE CHIP é um teste multiplex qualitativo que utiliza a metodologia Flow Chip para identificar as bactérias Gram-positivas e Gram-negativas mais comuns que podem levar à sepse e também identifica espécies fúngicas como a Cândida. Como a resistência antimicrobiana se apresenta como um fator importante afetando o resultado dos pacientes, o kit ainda avalia a suscetibilidade a antibióticos, auxiliando na redução do uso de antibióticos.

 

A tecnologia Flow Chip

A tecnologia Flow Chip envolve a amplificação simultânea de diferentes patógenos e genes de resistência através de uma PCR seguida de uma hibridização reversa (dot blot) utilizando sondas específicas de DNA imobilizadas em uma membrana (Chip).

XGEN3

Patógenos e genes de resistência identificados pelo kit XGEN MULTI SEPSE CHIP

O processo de hibridização permite que os produtos de PCR sejam ligados às sondas presentes no CHIP. Uma câmera embutida no equipamento Hybrispot HS12 ou HS24 captura a imagem do CHIP e o software fará a leitura identificando os pontos que aparecem na membrana. Cada padrão de pontos está relacionado a um patógeno ou gene de resistência, sendo que a identificação desta marcação mostra os resultados simultaneamente.

XGEN2

CHIP, marcação e controles usados para garantir a qualidade dos resultados

A partir de uma hemocultura positiva, é possível obter os resultados em apenas 4 horas. Os testes empregados atualmente para diagnóstico de sepse levam de 2 a 3 dias para obtenção do resultado e ainda assim não apresentam a resistência antimicrobiana.

Detecção rápida de patógenos por ferramentas de diagnóstico molecular e detecção simultânea de formas resistentes a medicamentos leva a uma terapia eficaz do paciente e evita o uso inadequado de antibióticos de largo espectro.

 

Vantagens do Kit XGEN para diagnóstico de SEPSE:

-Mais de 40 patógenos identificados simultaneamente;

-20 genes de resistência a antibióticos;

-Tecnologia Flow Chip para um diagnóstico rápido e preciso;

-Plataformas automatizadas ou semiautomatizadas;

-Protocolos simples e resultado em 4 horas;

-Não é necessário realizar a extração de DNA;

-Permite a realização de testes individuais;

-Possibilita a administração do antibiótico correto e terapia adequada ao paciente;

-Painel de genotipagem de genes de resistência mais completo do mercado;

-Reduz gasto com medicamentos desnecessários e o tempo de internação nos hospitais, impactando no fator econômico da terapia para sepse;

-Kits e equipamentos com registro da na ANVISA (80502070052 e 80502070046)

 

Comercializado por Biometrix Diagnóstica
0800 726 0504
(41) 2108-5250
[email protected]

Tags:

sepse, XGEN, XGEN MULTI SEPSE CHIP

Compartilhe: