bioflo

O sistema é fermentador/biorreator de escala de bancada para pesquisa & desenvolvimento e processos de produção de pequena/média escala

A Eppendorf, empresa líder em life Science apresenta o BioFlo® 120, seu mais recente sistema de fermentador/biorreator de escala de bancada para pesquisa & desenvolvimento e processos de produção de pequena/média escala. Este instrumento flexível é capaz de realizar fermentação microbiana, bem como aplicações de cultura de células de mamíferos em uma única plataforma. Possui uma vasta gama de dornas de vidro (600 ml – 10,5 L) e dornas de plástico (descartáveis) BioBLU® (250 mL – 40 L). As conexões universais para sensores analógicos e analógicos digitais Mettler Toledo® facilitam o monitoramento de vários parâmetros críticos do processo.

“Sabemos que em pesquisa e desenvolvimento o tempo é crítico. Nossa prioridade era desenvolver um sistema de bioprocessos que fosse fácil de configurar e de usar. Ao reduzir o tempo necessário para aprender a usar novos equipamentos, liberamos os cientistas para gastar mais tempo com o que é importante, sua pesquisa”, afirma Kevin Voll, gerente de produtos da Eppendorf dos Estados Unidos. O software embutido oferece controle de processo local em tempo real através de um touchscreen integrado.

Os modos de Auto Cultura recém-desenvolvidos para aplicações de microbiologia e cultura de células reduzem drasticamente a curva de adaptação associada ao novo equipamento. Para recursos adicionais de controle de processo e gerenciamento seguro de banco de dados, o BioFlo 120 também pode ser conectado a plataformas de software Eppendorf SCADA DASware® e BioCommand®.

Segundo Rogerio Mendes, Coordenador de Bioprocessos na Eppendorf do Brasil “além de muito versátil, outro benefício é seu custo, que é menor do que o seu antecessor. Com nossos pesquisadores recebendo cada vez menos apoio financeiro, as configurações dos equipamentos precisam ser mais otimizadas. Neste cenário, o BioFlo® 120 é equipamento ideal para o momento delicado que a pesquisa vive no Brasil”.

A possibilidade de trabalhar com células eucarióticas e procarióticas em um mesmo equipamento é fantástica. Além disso, o pesquisador poderá escolher a dorna ideal para cada fase de sua pesquisa, pois contará com volumes de trabalho que partem de 600 ml e vão até 40 litros.

Tags:

BioFlo® 120, Eppendorf, pesquisa

Compartilhe: